domingo, 8 de agosto de 2010

Você Estava Lá?

Por: Samuel Câmara


Dois amigos estavam discutindo sobre Gênesis 1.1, que diz: “No princípio, criou Deus os céus e a terra”. Simeão disse que acreditava na Criação exatamente como estava escrito na Bíblia. Efraim, um agnóstico declarado, divagou longamente sobre suas próprias teorias de como o mundo começou e como a vida desenvolveu-se de uma célula primordial, para répteis, macacos, até chegar ao homem. Quando terminou, Simeão olhou para ele e disse: “Você estava lá?”
Essa foi uma boa pergunta. “Claro que eu não estava”, respondeu Efraim. Então, Simeão disse: “Bem, Deus estava. Ele era o único que estava lá e eu vou ficar com a palavra da testemunha ocular desse evento maravilhoso, pois Ele é Fiel e Verdadeiro, em vez de dar atenção a suposições daqueles que creem apenas nas elucubrações da própria imaginação”.
O que alguém faz da Bíblia e da sua própria história depende do que faz da primeira frase da Bíblia. Se uma pessoa crê de todo o coração nessa Palavra, poderá crer em tudo o que vem depois. Se rejeitar essa afirmativa divina, também irá negar qualquer outra verdade das Escrituras.
Lembremo-nos de que, em um julgamento, a testemunha ocular sempre conta mais que todas as outras. O mesmo vale para juízos a respeito da Criação. O próprio Deus perguntou ao seu servo Jó: “Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra?” Deus estava lá, por isso devemos confiar em sua palavra.
Qualquer pessoa da nossa geração, quando pensa no início da Assembleia de Deus no Brasil, só pode dizer: “Eu não estava lá”. Mas não devemos parar nesse ponto. Precisamos voltar às fontes, ler e ouvir quem esteve, e dar crédito às evidências de suas palavras. Porque nós só podemos saber o que ocorreu nos “humildes começos” em virtude do testemunho daqueles através de quem Deus operou esse grande milagre nas plagas paraenses.
Gunnar Vingren estava lá. Daniel Berg estava lá. Samuel Nyström, Nels Nelson, assim como muitos outros, estavam lá. Todos sofreram para estabelecerem os fundamentos dessa obra, mas não creio que algum deles tenha pensado em que “o penoso trabalho de suas mãos” chegaria a comemorar o Centenário. Talvez porque esperassem a volta de Jesus para breves dias; talvez porque Deus lhes tenha vedado enxergar, para que não se ensoberbecessem; talvez porque estavam simplesmente interessados em cumprir sua missão.
Os fundamentos foram tão bem colocados, tão profundamente fincados, que pôde surgir deles uma obra portentosa e ao mesmo tempo incompreensível aos padrões do pensamento humano!
Podemos parafrasear o primeiro verso da Bíblia desse modo: “No principio do Século XX, criou Deus a Assembleia de Deus”. É tão somente por isso que essa obra chegou até aos nossos dias, pois foi criada por Ele, sempre contou com o poder Dele, o Senhor Deus, que sempre deu o tom e o compasso dessa “composição divina”, a qual só poderia sair do coração do Deus amoroso e bom.
Por causa dessa ação de Deus na História, multidões foram salvas, milhões foram abençoados, curados, batizados no Espírito Santo, resultando também no maior movimento de inclusão social que este País já teve notícia. É só ver os testemunhos dos incontáveis pecadores e ex-tudo-que-não-presta, os quais foram transformados em santos e amados do Senhor!
Deus criou a Assembleia de Deus, mas eu não estava lá. Você não estava lá. Ninguém na nossa geração estava. Nem podíamos. Podemos lamentar, mas sem culpa alguma.
Agora, a boa notícia é que Deus quer fazer o Centenário da Assembleia de Deus. Eu estou aqui. Você está aqui. A nossa geração pode ser usada nas mãos de Deus para realizar essa obra que também é fruto do coração de Deus. O que cada um de nós tem de responder é isto: o que farei com o Centenário?
Alguém pode se esquivar e dizer: “Isso não é comigo”. E, como Efraim, tecer mil teorias de sua inação e incredulidade.
Outro pode dizer como o profeta Isaías: “Eis-me aqui, envia-me a mim”. E, como Simeão, crer no testemunho dos antigos, de quem estava lá no princípio, cujo exemplo de fé mostrou à nossa geração que Deus fez do nada algo que ajudou a mudar a face deste País.
Se você não tiver outros meios, ore, ore muito por nós. Se puder orar e contribuir financeiramente, ore e contribua generosamente. Se puder orar, contribuir e participar da Festa do Centenário, melhor ainda.
O Centenário é uma tarefa da nossa geração. A geração do princípio fez a sua parte. Agora é a nossa vez. Faça a sua parte. Creia em Deus e coloque a sua fé em ação.
E então, cada irmã e irmão que, em gratidão a Deus, se empenhou pela celebração do Centenário, poderá dizer: “Eu estava lá!”

Um comentário:

Fabio Faith disse...

Excelente este blog!!!